Criancaprodigios

Conheça crianças que chamam a atenção fazendo o que gostam

Este artigo saiu originalmente no programa “Mais Caminos” da globo.com. Leia o artigo original aqui.

O sonho de criança não tem barreira ou limite, por isso pra eles tudo é possível. O repórter Daniel Perondi foi a Campinas (SP) e Artur Nogueira (SP), bater um papo com duas crianças que são verdadeiros prodígios e tem muita coisa a ensinar. Aaron Barrios, de cinco anos, e Vinicius Siqueira, de oito anos, mostram aqui no Mais Caminhos porquê eles chamam a atenção fazendo o que gostam.

Em Artur Nogueira (SP), o repórter Daniel Perondi conheceu Aaron Barrios, de apenas cinco anos, que pinta lindas telas. Aaron já havia participado rapidamente do Mais Caminhos, no dia 23 de julho deste ano, quando o apresentador Pedro Leonardo conheceu o "Projeto Retreta", que ensina crianças e adultos a tocar instrumentos de forma gratuita. Na ocasião, o garoto surpreendeu a equipe ao dizer que tocava violino e piano, além de gostar de música clássica.

Agora, na casa de Aaron, ao lado de suas telas, o repórter Daniel afirmou se sentir no ateliê de um artista super experiente. E como ele também gosta de música, antes de conversar com o repórter do Mais Caminhos sobre as telas, o pequeno estava a fim de tocar teclado. “Gosto de tocar piano, pintar e estudar violão”, conta.

Aos cinco anos de idade, Aaron não está preocupado em fazer tipo de artista, o menino fica a vontade sendo quem ele é de verdade: criança. O menino ainda não frequenta a escola, mas os pais fazem de tudo para criar um ambiente favorável: “a gente costuma dar várias oportunidades. Música, desenho e jogos... Mas ele gostou muito da pintura, foi uma surpresa para mim”, explica o design gráfico e pai, Aurélio Barrios.

Os pais perceberam que a pintura está além de ser apenas uma brincadeira. “Ele acordava algumas vezes querendo pintar... Então tem telas que ele pintou porque teve um temporal, aí ele queria pintar o vento. Percebemos que é mais do que só jogar tinta na tela”, diz Roseli.

Hoje já são mais de cem telas pintadas e o que parecia brincadeira de criança, chama atenção de especialistas no assunto. “Tem uma página onde a gente coloca os trabalhos e através desta página tem procura até fora do país. Uma galeria de Nova York (Estados Unidos), entrou em contato pra saber se tínhamos interesse em fazer uma exposição”, conta a mãe.

O gosto por pintura é, em partes, influência dos pais que lhe mostravam os passarinhos, por exemplo, e o Aaron começou a colocar isso nas telas, mas de forma abstrata. “Se você perguntar o que é isso, ele vai te dar uma resposta bem concreta: isso é uma joaninha, isso é uma flor”, completa o Aurélio.

Google Plus
{{ message }}

{{ 'Comments are closed.' | trans }}